v. 81 n. 320 (2021): O anúncio de Jesus Cristo

O anúncio de Jesus Cristo. Não só o enunciado por Jesus, mas, sobretudo, o anúncio da pessoa Jesus por quantos foram e são tocados por ela. Anúncio que foi e é boa notícia. Anúncio feito pelas mais diversas formas da linguagem humana, mas, sobremaneira, por aquela que se traduz pela caridade.

Cremos não haver dúvida: situamo-nos na nascente do percurso humano e, simultaneamente, cristão. Situar-se junto a esta fonte, beber de sua casta água, dar notícia e testemunho dela significa, certamente, deparar-se com a sede e com a saciedade, com a morte e com a vida, com a condição humana e o chamado à sua transcendência. O anúncio de Jesus é o anúncio da unção, do destino feliz do percurso, da salvação.

Este anúncio, é obvio, pode ser conjugado em vários tempos verbais. Amparados na experiência do encontro com Jesus feita pelos que com ele estiveram presencialmente e por ele foram enviados, aqui o conjugamos no tempo presente, marcado por multipluralismos. Vários autores se propuseram fazer esta conjugação. E, com certeza, podemos afirmar – sem demérito de quem que se seja –, que cada um deles só apresenta um aspecto deste anúncio. Por isso, dão conta seja da limitação humana seja da luz divina que a resgata. Agradecemos, pois, a cada um/a deles/as, e a REB convida a Você, Leitor/a, a dialogar com eles, enquanto percorrem juntos o caminho. Referimo-nos a: Elias Wolff, Dirce Gomes da Silva, Márcio Luiz Fernandes, Felipe Sérgio Koller, João Pedro da Luz Neto; Francisco Reinaldo Gonçalves Oliveira, Antonio de Lisboa Lustosa Lopes, Thales Martins dos Santos, Paulo Sérgio Carrara, Gelson Luiz Mikuszka e José Abel de Sousa.

Além do tema da centralidade do anúncio de Jesus, o Cristo, e da atualização de suas formas, Você também pode, Leitor/a, trazer para sua consideração a interessante compreensão do modo mais comum de os seres humanos se relacionarem, hoje, trazendo para a representação uma sociedade em rede e relacioná-lo com o modo de habitar, de estar no mundo, de se relacionar, decorrente do encontro pessoal com Jesus. Dessa conjugação decorre o estilo de acolhimento samaritano, próprio dos seguidores de Jesus. Confira com Luís Miguel Figueiredo Rodrigues e Flavio José de Paula.

Além de inspiração, planejamento e execução, todo projeto ou ação humana, individual ou colegialmente conduzido, se conduzido com razoabilidade, inclui revisão, avaliação, balanço, em vista do próprio prosseguimento dos fins a que se propõe. Francisco Taborda faz um acurado ensaio, neste sentido de avaliação, com relação aos Congressos Eucarísticos Internacionais, e com reflexos para os nacionais. Evidenciando que também esta iniciativa carrega condicionamentos históricos, propõe, para os tempos atuais, uma intensificação da iluminação decorrente do Concílio Vaticano II.

Ele teria completado 100 anos de nascimento em 14 de setembro de 2021. Referimo-nos a Dom Paulo Evaristo Arns. Muitas iniciativas foram tomadas, tendo em vista seja o resgate seja a continuidade de sua herança. João Décio Passos apresenta, aqui, um aspecto desta herança: o aggiornamento do Vaticano II junto aos pobres e vulneráveis, particularmente na arquidiocese de São Paulo. Um testemunho a ser conferido.

Cadastre-se – <http://reb.itf.edu.br> – e usufrua da REB on-line.

Elói Dionísio Piva ofm

Redator

Publicado: 2021-12-16

Recensões

Índices