CHAMADA DE PUBLICAÇÃO – 2020/2021

2020-03-04

Explicitando os temas:

2020

No 317 (setembro-dezembro) – Cristianismo e sexualidade

O ser humano é sexuado: condição que antecede a qualquer definição política ou religiosa; característica que define nosso ser no mundo, olhar e relacionamento. Campo privilegiado na compreensão e no exercício do amor. Por transcender a razão sem desligar-se dela, ser da ordem da afetividade, mas não se limitar a ela, é um horizonte de extraordinária riqueza de interpretações e rituais, fonte de realização e campo minado por tabus.

Como a Igreja, “especialista em humanidade”, na afirmação de Paulo VI, percebeu e valorizou a sexualidade? Apesar dessa constatação de largo alcance, hoje, não é raro ouvir-se dizer que ela carece de atualização e que sua voz é apenas uma entre outras. Como e por que a Igreja deveria falar do tema, como fez o Papa Francisco ao cunhar expressões como estas: “evangelho da família” e “a alegria do amor”?

Prazo final para encaminhamento de textos: 31 de julho de 2020.

 

2021

No 318 (janeiro-abril) – Teologia e Política

“Minha casa é casa de oração para todos os povos”; “muitos virão do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul...” Ao resgatar estas e/ou outras sinalizações de Jesus deparamo-nos com identidades ou modos de pensar circunscritos uns e sem fronteiras, outros. Partimos da “polis” como convite para o encontro com pensamentos, cosmovisões, antropologias diferentes. Mas, o ser “político” é também apenas uma possibilidade, um chamado à transcendência do próprio horizonte. Paradoxalmente, constatamos, por um lado, a expansão da interação social, por outro, a marcante presença de bolhas de compreensão ou pensamento único, facilitando intolerâncias. Onde foi parar a catolicidade, a alegria da pluralidade? – Teologia e política – remetem-nos ao Deus-Trindade?

Prazo final para encaminhamento de textos: 31 de novembro de 2020.

 

No 319 (maio-agosto) – Religião e Economia

É fundamental a relação religião-economia, pois nosso olhar contempla tanto o não só como o mas “também de pão”. Constatamos, porém, desequilíbrios: a desigualdade econômica, uma das causas do drama dos atuais migrantes; o ser humano considerado pelo seu poder de consumo; o Papa Francisco propõe que a economia esteja em função das pessoas, particularmente as mais pobres (Assis, novembro/2020). Que olhar conduziria a uma economia em função do ser humano? Uma teologia da prosperidade? No reino do mercado, o que sustenta a opção pelos pobres, pela sobriedade e pela liberdade? Onde estaria a segurança que a busca do ter e do poder procuram?

Prazo final para encaminhamento de textos: 31 de março de 2021.

 

No 320 (Setembro – Dezembro) – O anúncio de Jesus Cristo

Anunciar Jesus Cristo, e crucificado – como afirmava São Paulo –, e a proximidade do Reino de Deus! Prerrogativa dos cristãos, dos católicos igualmente. Assim, oferecer sentido, esperança, realização pessoal e comunitária/social efetiva! O Jesus Cristo libertador, salvador, o Filho de Deus-Pai! Anúncio na força do amor, do Espírito Santo; como forma de comunicação e testemunho de vida. Anúncio direto, explícito, do Deus de Jesus, o Cristo, encarnado, de modo que acolha e atinja as pessoas que vivem em condições desumanas e em todas as condições, bem como o conjunto da vida. Um anúncio que supere moralismos, transcenda nossa condição humana e, ao mesmo tempo, incida luminosamente sobre ela e reacenda a esperança! Não seria uma tarefa urgente? Não implicaria em renovada linguagem? Haveria exemplos a apontar? Evangelizai! Uma Igreja em saída! Haveria um horizonte mais interessante pra se pensar?

Prazo final para encaminhamento de textos: 31 de julho de 2021.

 

 

Acesse a REB on-line: <reb.itf.edu.br>

Cadastre-se como leitor, autor e/ou avaliador* (*com doutorado). Entre em “Página do usuário” e siga as orientações da plataforma (OJS).