Desafios da paradiplomacia eclesial e a cultura pós-cristã

  • Argemiro Procópio Filho Universidade de Brasília
Palavras-chave: Papa Francisco, Mudança de época, Cultura pós-cristã, Paradiplomacia eclesial, Reforma.

Resumo

Classificam-se hoje em dia as mudanças socioculturais não como época de mudanças, mas como mudança de época. Esta mudança se apresenta como chance e desafio. O Papa Francisco tem noção de como se situar, a fim de que missão da Igreja, que é a de evangelizar, seja efetivamente uma Boa-Nova: descer a montanha, calçar as sandálias do pescador, dialogar com a diversidade e com o multiculturalismo. Neste cenário, e fundamentado na caridade, que presidirá a nova evangelização, o Autor sugere novas estratégias para a paradiplomacia eclesial. 

Abstract: Sociocultural changes are no longer classified as an epoch of changes but as the changes of an epoch. This change presents itself as an opportunity and as a challenge. Pope Francisco knows how to position himself so that the mission of the Church – evangelization – will effectively be good tidings: to go down the mountain, to put on the fisherman’s sandals, to dialogue with the diversity and with multiculturalism. In this scenario and basing himself on the Charity that will lead the new evangelization, the Author suggests new strategies for the ecclesial paradiplomacy.

Keywords: Pope Francisco. Changes of an epoch. Post-Christian culture. Ecclesial paradiplomacy. Reform.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Argemiro Procópio Filho, Universidade de Brasília
O Autor é professor titular do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília e autor de Capitalismo amarelo (Juruá, Curitiba 2012) e Subdesenvolvimento sustentável (Juruá, Curitiba 2007), entre outros.
Publicado
2013-10-22
Como Citar
Procópio Filho, A. (2013). Desafios da paradiplomacia eclesial e a cultura pós-cristã. Revista Eclesiástica Brasileira, 73(291), 599-622. https://doi.org/10.29386/reb.v73i291.611