Sinodalidade como “dimensão constitutiva da Igreja”

Retomando e aprofundando a eclesiologia conciliar

  • Francisco de Aquino Júnior

Resumo

A expressão “sinodalidade” tem se tornado cada vez mais uma categoria eclesiológica central e decisiva no processo de renovação/reforma eclesial desencadeado pelo Papa Francisco. Ela expressa e indica o “caminhar juntos” de todo o povo de Deus na diversidade de seus carismas e ministérios. Trata-se, no fundo, de uma retomada e de um aprofundamento da eclesiologia conciliar, desenvolvida a partir e em torno da categoria “povo de Deus”. Não sem razão, muitos autores têm falado de uma nova etapa no processo de recepção conciliar com Francisco. Para ajudar na compreensão dessa expressão/categoria eclesiológica, retomaremos o processo de renovação eclesial desencadeado pelo Concílio Vaticano II e mostraremos como esse processo é retomado e aprofundado por Francisco em termos de sinodalidade, explicitando seu sentido e alcance e seu fundamento teológico-eclesiológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco de Aquino Júnior

Doutor em teologia pela Westfälische Wilhelms-Universität Münster – Alemanha; professor de teologia da Faculdade Católica de Fortaleza (FCF) e do PPG-Teo da Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP); presbítero da Diocese de Limoeiro do Norte – CE.

Publicado
2022-04-12
Como Citar
Aquino Júnior, F. de. (2022). Sinodalidade como “dimensão constitutiva da Igreja”: Retomando e aprofundando a eclesiologia conciliar. Revista Eclesiástica Brasileira, 82(321), 8-23. https://doi.org/10.29386/reb.v82i321.3933