v. 80, n. 316 (2020)

Sínodo pan-amazônico: Perspectivas pós-sinodais

A pandemia provocada pelo coronavírus mobiliza, no momento, grande parte da atenção humana. Na Igreja católica não é diferente. Por sua vez, a Amazônia e a REB, sensibilizadas pela pandemia, se encontram, nesse número, às portas do saguão pós-sinodal. Abertas as portas, apresenta-se o cenário amazônico que interpela a Igreja naquela latitude com relação a seu testemunho evangelizador. Em primeiro plano, os que só podem contar com parcos recursos para o enfrentamento da crise. Eles não são os únicos personagens do vasto cenário físico-social que se descortina. São, contudo, os que mais sensibilizam. Por seu turno, os que retornaram ao saguão amazônico, agora impulsionados pela maior visibilidade obtida e pelo acréscimo no grau de consciência seja da própria missão seja do modo específico de atuação, na linguagem do Papa Francisco, revestem suas mentes, palavras e ações com a linguagem do sonho, ou seja, do grande horizonte do desejo que desencadeia diretrizes, metas e estratégias. Sim, eles chegam do evento sinodal. Este, com o documento que deixou como suges- tão ao Papa, é rampa de lançamento. Dessa rampa, no limiar do primeiro ano, todos foram agraciados com a Exortação Apostólica Querida Amazônia e, há poucos dias, com a instauração da Conferência Eclesial da Amazônia. São decolagens que traduzem a acolhida do novo, simbolizado pela vídeo-conferência, e materializam o propósito Eclesial, ou seja, a incorporação da sinodalidade, da efetiva participação dos povos nativos e da mulher, especificamente. Mobilizados pelo seguimento de Jesus, consa- gram-se à defesa e ao cuidado da vida das pessoas, tão desasistidas, e da Mãe-Terra, tão “enfeitada” quando ameaçada.

A REB agradece a possibilidade de partilhar considerações que apontam avanços e desafios sinodais, na atenta escuta seja das condições humanas e materiais do testemunho da fé na vasta e diversificada Amazônia, seja, na Igreja como um todo. Avivar perspectivas, neste número, é com José Rinaldo Felipe Martins Filho, Sinivaldo Silva Tavares, Carlos Alberto Sell e Agenor Briguenti, na seção do dossiê.

Explicitam outrossim a diversidade humana e eclesial, Argemiro Procópio, ao assinalar conflito e colaboração internacional, manifestados pela atual pandemia, com reflexos na Amazônia; Wagner Lopes Sanchez e Glair Alonso Arruda, ao delinear as justificativas idealizadas para firmar o atual projeto de Brasil e sua governabilidade; Marcial Maçaneiro e Miguel Rigoni, ao apontar a luz do Espírito Santo que motiva a diaconia de quem se dispõe a servir; Junior Vasconcelos do Amaral, ao assinalar que o evangelista Lucas apresenta a ação de Jesus como sendo a de quem vai da misericórdia à misericórdia/justiça; Jerônimo Pereira Silva, ao traçar o caminho de quem se achega ao altar de Deus para agradecer e alimentar seu permanente “sim” ao envio, em Jesus, no Espírito; Welder Lancieri Marchini e Renan Silva Carletti, ao traduzir a noção de corpo do filósofo contemporâneo Hyung-Chul-Han; Nadir Antonio Pichler e Talia Castilhos de Oliveira, ao articular o inato desejo de felicidade com o vislumbre de vida contemplativa de são Tomás de Aquino.

Cadastre-se – <http://reb.itf.edu.br> – e usufrua da REB on-line.

Elói Dionísio Piva ofm

Redator

Sumário

Expediente
 
PDF
225-228

Dossiê

José Reinaldo Felipe Martins Filho
PDF
232-261
Sinivaldo Silva Tavares
PDF
262-281
Carlos Eduardo Sell
PDF
282-306
Agenor Brighenti
PDF
307-332

Temas Variados

Argemiro Procópio
PDF
333-352
Wagner Lopes Sanchez, Glair Alonso Arruda
PDF
353-372
Marcial Maçaneiro, Miguel Rigoni
PDF
373-397
Junior Vasconcelos do Amaral
PDF
398-408
Jerônimo Pereira Silva
PDF
409-440
Welder Lancieri Marchini, Renan Silva Carletti
PDF
441-455
Nadir Antonio Pichler, Talia Castilhos de Oliveira
PDF
456-470

Recensões

Recensões
 
PDF
471-495