v. 72, n. 288 (2012)

A 50 anos do Vat. II

No dia 11 de outubro de 2012, no marco-jubileu de 50 anos, a memória presencializa a abertura do mais inspirador evento eclesial do século XX: o Concílio Ecumênico Vaticano II. Evidentemente, o foco das atenções não está no passado, mas sim, a 50 anos daquele evento, ou seja, no hoje da experiência de fé da Igreja católica e do exercício de sua missão evangelizadora, iluminados pelas luzes daquele evento do Espírito. A partir e em função deste hoje, e deste hoje situado, em nosso caso, no contexto sócio-eclesial latino-americano, busca-se antiga e nova inspiração do Concílio, no exercício de articular sempre novas formas de compreensão e de anúncio da Boa Nova da vida em Jesus, anunciador do Pai, na força do Espírito Santo.

Em função deste impulso de fidelidade e renovação, neste fascículo é apresentada a oportunidade de:

Participar do permanente discernimento hermenêutico do Vaticano II; para isso e em função de uma Igreja agraciada e portadora da graça de Jesus Cristo nas mais diversas circunstâncias e modos de anúncio, Antonio José de Almeida aponta critérios básicos;

Seguir, com Francisco de Aquino Júnior, o percurso da Igreja dos pobres, que perpassou o Vaticano II e emergiu com evidência na eclesiologia e na práxis latino-americana, constatando sua relevância enquanto característica dos discípulos de Jesus Cristo;

Prosseguir, estimulados por Paulo Suess, na acolhida da proposta missionária do Vaticano II, avançando na opção pelos pobres/outros, na requalificação do laicato e na construção de uma Igreja universalmente articulada e localmente autóctone;

Perceber a natureza de uma Igreja una e pluriforme, que tem na sinodalidade uma marca de sua unidade e diversidade fundada na Trindade, marca da qual a colegialidade episcopal é uma das manifestações – Agenor Brighenti realça a importância desta afirmação conciliar;

Situar-se no contexto eclesial-teológico imediatamente anterior ao evento conciliar e constatar como algumas ideias-mestras que marcam a eclesiologia do Concílio eram então gestadas e formuladas, o que leva à noção de processo em muitos aspectos da vida eclesial – Antonio Luiz Catelan Ferreira sinaliza este contexto;

E Francisco Taborda dá conta do pleno reconhecimento também por parte da Igreja no Ocidente da ação do Espírito Santo na Eucaristia, um passo a mais na direção do consenso na fé e do ecumenismo.

A todos, fecundo benefício desta fonte!

Elói Dionísio Piva ofm

Redator

Sumário

Expediente
 
770

Artigos

Antonio José de Almeida
PDF
772-806
Francisco de Aquino Júnior
PDF
807-830
Paulo Suess
PDF
831-861
Agenor Brighenti
PDF
862-886
Antonio Luiz Catelan Ferreira
PDF
887-901
Francisco Taborda
PDF
902-925

Comunicados

50 anos de recepção do Concílio na Igreja da América Latina
Demétrio Valentini
PDF
926-935
A teologia da enxada quarenta anos depois
Eduardo Hoornaert
PDF
936-943
Rumo a um paradigma pós-religional. Proposta teológica
EATWOT Comissão Teológica Internacional da EATWOT
PDF
944-957
Análise sócio-fenomenológica do pluralismo religioso no Brasil
Faustino Teixeira
PDF
958-963
Última entrevista com o Card. Carlo Maria Martini
Carlo Maria Martini
PDF
964-967

Necrologia

Necrologia
 
PDF
968-994

Apreciações

Apreciações
 
PDF
995-1012

Novidades Editoriais

Novidades Editoriais
 
PDF
1013-1015

Pelas Revistas

Pelas Revistas
 
PDF
1016-1034

Índices

Índices
 
PDF
1035-1040